ACESSIBILIDADE -A +A Cadastre-se | Ir para a busca

| Modo Escuro

Com o apoio do Governo e prefeitura de Tocantinia, famílias Xerente implantam roça comunitária com cultivo de arroz, milho, mandioca e feijão

Um Dia de Campo sobre a Cultura do arroz foi realizado na manhã desta quinta-feira, 28, visando orientar as famílias indígenas do Povo Xerente na condução da roça comunitária implantada na aldeia Cabeceira da Água Fria, no município de Tocantínia. É um projeto-piloto que está sendo implantado no município de Tocantínia, com junção de forças entre Governo Estadual, prefeitura municipal e povos indígenas. 

A iniciativa visa beneficiar mais de 150 famílias indígenas da etnia Xerente, com a produção de arroz, milho, mandioca e feijão.

Com a finalidade de suprir as necessidades alimentar e nutricional das famílias indígenas Xerente, que foram bastante impactadas pela pandemia da covid-19, o projeto iniciou em janeiro, e nessa parceria, o Governo do Tocantins contribuiu com as doações de sementes por meio do programa Mesa Farta e com a assistência técnica do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins). A prefeitura municipal tem oferecido todo suporte com maquinário e insumos, enquanto as famílias indígenas contribuem com parte de mão de obra.

O Dia de Campo foi conduzido pelo gerente de Agricultura do Ruraltins, Edmilson Rodrigues, e o extensionista rural que presta serviços à comunidade que está na condução do projeto, Raulino Noleto, o pesquisador da Embrapa Pesca e Aquicultura, Daniel Fragoso, que abordou sobre a cultivar BRS A501 CL, arroz produzido na comunidade, considerado de boa qualidade e resistente a doenças.

Participaram da abertura do evento, o vice-prefeito de Tocantínia, João Alberto; o vice-presidente do Ruraltins, José Aníbal Lamattina, o diretor de Agricultura, Agronegócio e Pecuária da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro), José Américo; e o indígena Tiago Srekmõrãte Xerente.

Para o vice-presidente do Ruraltins, José Aníbal, esse projeto é de suma importância para o Governo do Tocantins, uma vez que tem a finalidade de melhorar a vida dos povos indígenas, com produtividade e garantia de alimento a essas famílias. “Resultado do Projeto Mesa Farta, essa ação conjunta é muito importante para o governo, para o Ruraltins, e nosso objetivo é replicar tudo que dá certo para os outros municípios, não só para as demais comunidades indígenas, como também para a agricultura familiar de todo o Estado”, destacou.

Na ocasião, o gestor também elencou ainda outras políticas e ações do Governo voltadas para o fortalecimento agrícola das comunidades tradicionais, como o crédito Rural, o programa de Aquisição de Alimentos, parcerias com a Universidade Federal do Tocantins (Unitins) para análises de solo, entre outros.

Aldeias

No total são oito aldeias indígenas beneficiadas e envolvidas na implantação: Boa Vida, Boa Vista, Bom Tempo, Cabeceira da Água Fria, Montes Belos, Monte Sião, Paraíso e Suprawahâ.

Deixe um comentário

Comentário sujeito a análise. Após o envio seu comentário será avaliado por nossa equipe para visualização.

O Portal da Prefeitura de Tocantinia-TO utiliza cookies para melhorar a sua experiência.
De acordo com a nossa Política de Privacidade, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Continuar
Precisa de ajuda?